Diabetes tipo 1 Diabetes tipo 2 Estilo de Vida Nefropatia SAÚDE

NEFROPATIA DIABÉTICA: UMA COMPLICAÇÃO INADVERTIDA

complicações da nefropatia diabetica
Dr. Leonel Porta
Escrito por Dr. Leonel Porta

Os rins são órgãos essenciais do corpo humano que ajudam a eliminar as substâncias tóxicas do nosso organismo, manter a pressão arterial, ajudam a manter a estrutura óssea e produção adequada de células vermelhas do sangue. Em nosso blog DiabeTV, nós falamos sobre a relação entre diabetes e doença renal e sabemos que a primeira é a causa mais comum de insuficiência renal terminal. Infelizmente, este dano renal pode passar despercebido, já que geralmente começa 5-10 anos antes do aparecimento dos sintomas.

Na maioria dos casos, quando sofremos doenças renais agudas, apresentamos sinais e sintomas como, por exemplo: inchaço da face, pressão sanguínea elevada, alteração dos valores de eletrólitos séricos, anemia e fadiga. E o que acontece com o diabetes? Em alterações renais crônicas, como as produzidas por níveis elevados de açúcar no sangue ao longo dos anos no rim, no início não apresenta sintomas e passa assim despercebida.

A nefropatia diabética é completamente assintomática até que, com a passagem do tempo, ocorrem danos graves e irreversíveis nas funções renais. Atualmente, recomendamos que sejam realizados exames periódicos de urina e sangue para detectar precocemente a perda inadequada de proteínas  (albumina). Os Institutos Nacionais de Saúde e a Associação Americana do Diabetes (ADA) recomenda a realização destes testes de laboratório a cada ano em pessoas com diabetes mellitus tipo 2 e em pessoas com diabetes mellitus tipo 1 por 5 anos ou mais.

Entre a variedade de sinais e sintomas que podem ocorrer em pessoas que sofrem de nefropatia diabética crônica estão os seguintes:

  • Fadiga, fraqueza e cansaço
  • Mal estar geral
  • Dor de cabeça
  • Inapetência
  • Náuseas e vômitos
  • Comichão na pele
  • Inchaço nas pernas
  • Ganho de peso
  • Aumento na frequência para urinar
  • Microalbuminúria (fase inicial)
  • Proteinúria (fase avançada)

Além disso, à medida que a doença progride ocorre também aumento da pressão arterial. Desta forma, a hipertensão é considerada não só uma causa de doença renal, mas também resultado de danos causados pela mesma. A hipertensão, inclusive como histórico familiar, não é apenas um fator importante para o desenvolvimento de problemas renais em pessoas com diabetes, mas também acelera a progressão da doença renal, quando esta já está presente. Isto é perigoso, já que o aumento da pressão sanguínea piora os fatores que causam o aumento e vice-versa.

A detecção precoce e o tratamento imediato da hipertensão arterial, assim como o controle anual da função renal e o monitoramento dos níveis de glicose são de fundamental importância para as pessoas com diabetes e uma garantia de melhora na qualidade de vida. Não espere passar mal para dedicar tempo à prevenção da sua saúde, o seu futuro depende de você.

comments

Sobre o autor

Dr. Leonel Porta

Dr. Leonel Porta

Médico Cirurgião, que já participou de vários cursos ao longo de sua carreira e autor de diversas publicações, Leonel trabalha como médico clínico geral e médico do trabalho, lidando continuamente com pacientes diabéticos. Sua formação médica e valores jesuítas fazem com que seus artigos busquem não apenas o bem estar físico, mas também psicológico, social e espiritual de seus leitores.