Conceito Básicos Cuidados dos Olhos Diabetes tipo 2 SAÚDE

GLAUCOMA E DIABETES: QUAL A RELAÇÃO?

problemas nos olhos em diabeticos
Dr. César Giral
Escrito por Dr. César Giral

As pessoas com diabetes geralmente sofrem de complicações a nível ocular. A razão para isto é que a hiperglicemia gera danos irreversíveis que se acumulam com o tempo, alterando a estrutura e função dos vasos sanguíneos e de outros elementos básicos para a função adequada do sistema visual.

As principais complicações crônicas a nível oftalmológico são: Retinopatia Diabética, Catarata e Glaucoma. Neste artigo, vou comentar sobre o Glaucoma.

O glaucoma é uma doença ocular, em que há uma perda lenta e progressiva da visão, relacionada com uma doença primária específica que pode ser comprovada por meio de um teste conhecido como alcance visual. Esta perda está relacionada com o dano irreversível do nervo óptico e, como na maioria dos casos, está associado com o aumento da pressão intraocular. Muitos estudos científicos indicam, entre outras coisas, que as alterações ao nível do nervo óptico podem estar relacionadas ao desenvolvimento da doença.

Para simplificar o entendimento a respeito do Glaucoma, devemos esclarecer que o fenômeno da visão não depende exclusivamente dos olhos. Na realidade, o olho é o primeiro elemento de um circuito que também envolve o nervo óptico e cérebro. Quando estes três elementos, olho, nervo óptico e cérebro estão em perfeitas condições, podemos desfrutar da capacidade de ver.

Os nossos olhos capturam uma imagem, enviam esta para o cérebro, especificamente para a zona conhecida como o córtex visual. Nesta zona de nosso cérebro, ambas imagens se fundem e, em seguida, experimentamos o fenômeno da visão. O nervo óptico é a estrutura responsável por levar esta informação a partir do olho ao córtex visual e este é pode ser comparado ao “cabo” que liga a nossa tela do PC com nosso disco rígido. Nestes casos, o “cabo” pode ser substituído, mas no caso do sistema visual, o nervo óptico, uma vez danificado, não pode ser substituído.

Existem diferentes tipos de glaucoma. No caso específico de pessoas com diabetes, as formas mais comuns de glaucoma são:

a. Glaucoma Primário de Ângulo Aberto

Esta é a forma mais comum do glaucoma no mundo. A lesão do nervo óptico e perda de visão (campo visual) tende a ser muito lenta e está intimamente relacionada com o aumento da pressão intraocular. Neste tipo de glaucoma, levam-se vários anos até atingir a cegueira total. Infelizmente, não existem Sintomas, fazendo com que uma visita anual para avaliação do oftalmologista seja de extrema importância. Num exame oftalmológico, a pressão intraocular é medida com um instrumento especial e o nervo óptico pode ser avaliado clinicamente pelo médico. Se ele assim considerar, pode pedir um exame de campo visual para determinar se a perda de campo visual existe ou não. Se no exame oftalmológico da pressão intraocular forem constatados níveis elevados, o médico prescreverá a medicação na forma de gotas para os olhos que tornará possível controlar a pressão intraocular e assim evitar danos no nervo óptico e a perda da visão. Não há nenhuma razão para alguém ficar cego devido a esta forma comum de glaucoma já que excelentes tratamentos estão disponíveis para controlar e evitar a perda de visão e cegueira definitiva.

Vários estudos sugerem que as pessoas com diabetes têm o dobro da probabilidade de desenvolver esta forma de glaucoma do que aqueles sem diabetes. A razão para esta ligação não é clara. O que é muito claro, no entanto, é que os exames médicos anuais e a descoberta precoce são necessários.

b. Glaucoma Neovascular

O glaucoma neovascular é uma forma rara e muito agressiva de glaucoma. Tende a ser secundário à presença de outras doenças que afetam os vasos sanguíneos dos olhos. No caso de pessoas com diabetes, aqueles com retinopatia diabética apresentam risco para o glaucoma neovascular. Seu controle consiste em tratamento tópico (colírios), o tratamento intraocular e cirurgia. O seu prognóstico é reservado (sem muitas chances do caso evoluir bem).

Eu mais uma vez insisto que a prevenção é fundamental. Se você quiser evitar o aparecimento de complicações diabéticas crônicas, ou retardar ou diminuir a gravidade do impacto sobre a sua qualidade de vida, você deve controlar a sua glicemia, especialmente através de sua ingestão alimentar, atividade física e acompanhamento médico. Complicações oftalmológicas crônicas colocam sua visão em risco e abrem o caminho para a possível cegueira. Não permita isso! O melhor remédio é a prevenção. Consulte seu oftalmologista a cada ano.

comments

Sobre o autor

Dr. César Giral

Dr. César Giral

Cirurgião Oftalmologista, Defensor do Diabetes, Executivo de New Mídia e Entusiasta em Mídia Social. Como cirurgião profissional por mais de 20 anos, Cesar escreve seus artigos com um olho clínico e nos fornece informação profissional e atualizada sobre o diabetes.

6 Comentários

    • Boa noite, Cristina.
      Você já deve saber que realmente o diabetes pode afetar nossa visão. Então, você deveria consultar um médico para saber sobre este desconforto que você sente. Se você já esteve com um médico, que não encontrou nada, procure outro, escute outra opinião… Não espere passar!! Cuide-se… Abraço!!!

    • Olá Iara. Não podemos afirmar que estas doenças oportunistas não se manifestarão, já que se manisfestam também devido a outras condições. Mas, com certeza, controlar o diabetes é a melhor maneira de evitar estas complicações, pois o diabetes fora de controle aumenta o risco. Obrigada pelo contato!!! Boas festas!!

Adiciona um comentário