Diabetes tipo 1 Diabetes tipo 2 Fibras Frutas Minerais NUTRIÇÃO Outras Enfermidades Proteínas SAÚDE Vegetais Vitaminas

FITOESTROGÊNIOS – UMA OPÇÃO PARA A MENOPAUSA?

fitoestrogenios para menopausa
Dra. Sabrina Pozzobon

Os fitoestrogênios são substâncias de origem vegetal, com estrutura semelhante ao estrogênio e por esta razão podem unir aos seus receptores e, portanto desencadear um efeito similar a este. Devido às suas características naturais, foi proposto como substituto para a terapia de reposição hormonal .

Existem 3 tipos principais de fitoestrogênios:

  • Isoflavonas – São as mais estudadas e maiores da família. Podemos encontrá-las em leguminosas, sementes e grãos integrais. As fontes mais abundantes incluem soja e produtos tais como a farinha, tofu, entre outros. As isoflavonas de soja mais importantes são a genisteína e daidzeína, que estão inativos no meio ambiente e ao serem ingeridas são ativadas, modificadas pela flora bacteriana intestinal.
  • Lignanos – Estes formam a parte celular das plantas e podem ser encontrados em sementes, grãos, legumes e frutas. Igualmente às isoflavonas, estas devem ser modificas pela flora bacteriana intestinal para serem absorvidas.
  • Coumestans: Se encontram nos vegetais, sementes de girassol e brotos de alfafa.

Os benefícios no consumo de fitoestrogênios são:

  • Alguns estudos relataram melhora na redução da intensidade das ondas de calor em mulheres na perimenopausa.
  • Melhora o perfil lipídico, ou seja, reduz o colesterol ruim e triglicérides, ajudando assim a prevenir doenças cardiovasculares, cujos riscos geralmente aumentam com a menopausa.
  • Diminui os níveis de glicose no sangue. Foi demonstrado que em pacientes com diabetes tipo 2 ajuda a melhorar o controle metabólico, reduzindo a resistência à insulina.
  • Acredita-se ter um efeito protetor contra a osteoporose, evitando a redução na densidade óssea, no entanto, este fator ainda se encontra sob estudo.
  • Efeito antioxidante na prevenção do envelhecimento celular. Por esta razão, pesquisas estão sendo feitas para averiguar seus efeitos protetores para vários tipos de câncer, incluindo câncer de mama.

Apesar de apresentar estes benefícios, não foi determinado ainda se os fitoestrogênios podem ser utilizados como um tratamento para substituir medicamentos e devem ser utilizados como complemento. Embora muitos estudos confirmem os benefícios dos fitoestrogênios, ainda existem pessoas que afirmam ser inconclusivos ou até mesmo contraditórios.

A Administração de Drogas e Alimentos dos Estados Unidos (U.S. Food and Drug Administration – FDA) concordaram que 25 g por dia de proteína de soja pode reduzir o risco de doenças cardíacas, reconhecendo que os benefícios à saúde fornecidos pela soja também podem ser devido aos altos níveis de gorduras poliinsaturadas, fibras, minerais, vitaminas e baixos níveis de gordura saturada.

Como mencionamos anteriormente, nós da DIABETV não apoiamos o consumo excessivo de soja, apesar de apresentar vários benefícios à saúde. Como diz o ditado, “tudo em excesso é ruim” e o consumo de grandes quantidades deste alimento pode gerar riscos. A soja possui componentes que podem provocar alergias em algumas pessoas, além do que, foi observada a possibilidade de gerar problemas de tireóide, como hipotireoidismo. Os fitoestrogênios podem agravar problemas hormonais em mulheres que produzem em excesso o estrogênio, entre eles distúrbios menstruais, por isso, é de extrema importância conversar com um médico para avaliar os prós e contras para o seu caso, em particular.

comments

Sobre o autor

Dra. Sabrina Pozzobon

Dra. Sabrina Pozzobon

Médico Cirurgião, poliglota e amante inata de cultura, aventura e natureza. Com sua experiência como médica clínica geral, tem lidado de forma consistente com pacientes diabéticos em diferentes áreas de sua carreira. Sabrina nos presenteia com novos tópicos sobre diabetes a partir de uma visão médica, humana e familiar, projetando sua paixão em cada um dos seus artigos.