Conceito Básicos Cuidados dos Olhos Cuidados dos Pés Diabetes tipo 1 Diabetes tipo 2 Nefropatia Neurologia SAÚDE Saúde Cardiovascular

COMO EVITAR AS COMPLICAÇÕES CRÔNICAS DO DIABETES

complicacoes cronicas do diabetes
Dr. César Giral
Escrito por Dr. César Giral

Antes de a insulina ser descoberta, as complicações crônicas do diabetes eram desconhecidas. Tragicamente, em uma questão de horas ou dias, a maioria das pessoas com diabetes tipo 1 (crianças e jovens) morriam de cetoacidose diabética (CAD ) – uma condição em que o corpo, na falta de glicose para alimentar suas células, começa a consumir a gordura, resultando na liberação de ácidos tóxicos chamados cetonas, e se esta situação não for controlada pode alcançar níveis que ameaçam a vida. Na melhor das circunstâncias e com os cuidados médicos básicos disponíveis na época (início do século XX), uma pessoa com diabetes podia sobreviver um ou dois anos. Como a expectativa média de vida era um pouco mais de 40 anos de idade, o diabetes tipo 2 não era uma condição comum nem era reconhecida pela ciência médica.

Com a descoberta da insulina e outros avanços terapêuticos em diagnósticos e tratamento médico, juntamente com um aumento global da expectativa de vida, as complicações crônicas do diabetes começaram a aparecer como uma nova ameaça para as pessoas com essa condição. Estas complicações crônicas, hoje representam um dos mais sérios problemas de saúde pública no mundo.

O termo “complicações crônicas do diabetes” refere-se aos danos causados pela hiperglicemia em vários órgãos do corpo. Normalmente, os órgãos mais afetados tendem a ser o coração e o sistema cardiovascular, bem como os olhos e os rins. Os danos ao coração e sistema cardiovascular, causar ataques cardíacos e derrames (AVCs). Nos olhos e rins, os vasos sanguíneos tornam-se danificados ao longo do tempo pela hiperglicemia não controlada. Nos olhos, a Retinopatia Diabética (danos na retina, a estrutura mais interna do olho), a Catarata (o cristalino, que é a lente intraocular natural, torna-se opaco) e Glaucoma (dano ao nervo óptico, a estrutura que liga o olho ao cérebro) são frequentes complicações. No caso dos rins, o diabetes é a principal causa de insuficiência renal no mundo.

Os estudos médicos mais relevantes realizados nos últimos dez anos concordam que, em grande parte, as complicações crônicas do diabetes compartilham uma base comum: a hiperglicemia. Aumentos frequentes e/ou prolongados nos níveis de glicemia causam uma série de processos físico-químicos que ocorrem nos tecidos, e acabam danificando sua estrutura e função de um modo cumulativo e irreversível.

Permitam-me ilustrar: vamos imaginar uma bela casa com excelente sistema de encanamento… Dentro das paredes da casa, água fresca e limpa circula através de uma rede de tubos fortes, suprindo todas as necessidades de seus moradores de forma eficiente. Agora, se adicionássemos constantemente uma substância levemente corrosiva na água, os canos seriam danificados, resultando em vazamentos e, ao longo do tempo, avarias irreparáveis. Do mesmo modo, a hiperglicemia afeta nosso sistema vascular.

A única maneira de evitar ou retardar o desenvolvimento dessas complicações crônicas do diabetes é através do controle glicêmico. Não existem fórmulas mágicas – ou talvez, haja sim, sob a forma de educação e informação! Temos de aprender tudo o que pudermos sobre a alimentação adequada e atividade física, e também ter a certeza de nunca negligenciar o controle médico da nossa condição. Não deixe de agir!

comments

Sobre o autor

Dr. César Giral

Dr. César Giral

Cirurgião Oftalmologista, Defensor do Diabetes, Executivo de New Mídia e Entusiasta em Mídia Social. Como cirurgião profissional por mais de 20 anos, Cesar escreve seus artigos com um olho clínico e nos fornece informação profissional e atualizada sobre o diabetes.

18 Comentários

  • sou diabetica tipo 2 ha 5 anos, e o q mais busco e informacao sobre a doenca e a alimentacao adequada, porem, o q muito me preocupa e o fato de o sistema nervoso tbem alterar os niveis de glicemia no organismo e sobre esse assunto pouco se fala, as vezes nao so o q vc come altera a glicemia, gostaria de mais informacoes

    • Faça o uso da batata yacom 100gr por ves, depois do almoço e da janta, meu esposo tem diabetes a 4 anos e não deixo faltar a batata yacom aqui em casa, ela deve ser conservada na geladeira pra durar uma semana, é só descascar lavar e comer feito fruta, ela tem gosto de pera e ajuda no controle da glicose, colesterol, pressão alta, e é claro fazer uso dos medicamentos e controle médico…

       

  • Sou diabetica nem sei a quanto tempo, mas faz um ano e meio que descobri, como de tudo, e ultimamente tenho feito hemoterapia um metodo muito bom e estou tomando a tres dias a agua do quiabo melhorei muito me sinto mais leve e com mais disposição, ainda me sinto cansada mas mais disposta coisa que a muio tempo nao me sinto. Adorei a pagina continuem nos explicando mais sobre essa doença.

  • Descobri que sou diábetica,á alguns meses,sempre temi essa doença,pois perdi minha mãe,ela era  nova……meu esposo tem desde os 38 anos,agora com 59 anos,já infartou,colocou 2 safenas e 1 mamária,cuido dele,mas não estou conseguindo me cuidar…..toda semana fico mal,percebo que é o emocional,tomo metiformina,emagreci muito……minha família toda é diábetica….agora sinto muita   vontade de comer chocolate…..o que faço?conheço toda dieta,mas não consigo…..bjs

  • Tenho mta difculdade pra controlar o diabete tipo 2.
    Procuro comer alimento saudável, e sem açucar.
    Como uma vez por semana macarronada
    Faço uso de medicamentos glimipirida e glibenclamida
    Injeto 30mg de insulina após o café da manhã , e 30mg após o jantar, mas assim mesmo não consigo diminuir a taxa de glicemia pra menos de 300 . Ela passa de 400 e eu já estou preocupada, pois sinto mta dor de cabeça. Tb sofro de pressão alta e fico lutando com os dois problemas,pq a insulina bloqueia o sódio. Tenho sobre peso devido a genética. Depois do diabete aumentei mais de peso.
    Não posso fazer exercícios pois sofro de doença degenerativa na minha coluna .
    Como devo proceder?

    • Boa noite, Maura. Realmente não deve ser fácil lidar com esta situação, mas não se deixe abater, isto só piora o controle do diabetes. Na verdade, estar em um peso adequdo é de fato importante para te ajudar no controle do diabetes. Você já conversou com um médico sobre alguma atividade que você pode fazer? E outro ponto é alimentação que deve ser balanceada e saudável, procure se basear em alimentos mais naturais, evitando os muito pocessados, que costumam ter maiores quntidade de gorduras, açúcares e aditivos. Bem, Maura… Recomendamos que você procure um nutricionista caso você ache necessário para te ajudar a perder peso e converse com seu médico para encontrar alguma atividade que você pssa realizar. Abraços da equipe Diabetv Brasil!!!

    • Olá Maria!
      Para saber o que você deve ou não consumir, ou o que pode te ajudar neste caso em particular, recomendamos que você faça uma consulta médica para uma avaliação pessoal, levando em conta seu histórico clínico. Infelizmente, não temos como te ajudar assim de longe; não podemos te recomendar nada.
      Procure um médico que te ajude com esta situação e esclareça todas as suas dúvidas. Estamos torcendo pela sua melhora!!! Não desanime!!! Abraços!!!

Adiciona um comentário