Controle do Peso Controle do Peso Diabetes tipo 1 Diabetes tipo 2 DICAS Estilo de Vida NUTRIÇÃO SAÚDE

5 DICAS PARA NÃO COMER EM EXCESSO

Dra. Maritza Bendayan

Se você alguma vez já se perguntou quais são as razões pelas quais a maioria das pessoas tendem a comer em excesso, aqui estão algumas respostas.

Sabemos que através da ingestão alimentar o corpo adquire vitaminas, proteínas e minerais essenciais para a saúde. Mas se um indivíduo comer em excesso, acaba com sobrepeso ou até mesmo obesidade, podendo desenvolver outras complicações como o diabetes tipo 2, condição que está claramente ligada ao excesso de gordura corporal.

>> Vou mostrar alguns resultados de pesquisas relativas a este assunto:

  1. Em grupo comemos melhor e em maior quantidade. De acordo com uma investigação realizada pela Universidade de Atlanta, se descobriu que quando as pessoas comem em companhia de outros indivíduos, consomem 44% a mais do que quando estão sozinhas. Além disso, o tamanho das refeições aumenta em função do número de pessoas presentes, com 2 pessoas é 47% maior e com três, 58%.
  2. É reconfortante. Um estudo da Universidade de Leuven e publicado pela página Health.com indica que a ingestão de alimentos gordurosos reduz a atividade em algumas partes do cérebro associadas aos sentimentos de tristeza. Por este motivo, as pessoas procuram comer açúcares e gorduras em excesso.
  3. O estresse. Cientistas do Instituto do Cérebro Hotchkiss (HBI), da Universidade de Calgary (Canadá), indicam que o estresse ativa os mecanismos de apetite. O estudo concluiu que esta condição afeta as células nervosas na região do cérebro conhecida como o hipotálamo, estrutura que desempenha um papel importante no apetite e metabolismo.
  4. A falta de sono. Um estudo divulgado pela Academia de Ciências dos EUA (PNAS, por sua sigla em Inglês), sugere que ficar acordado por um longo tempo requer mais energia, o que nos leva a comer em excesso.
  5. Dentro do cérebro, existem diferentes circuitos de prazer. Um deles é a dopamina. Você sente uma onda de dopamina em resposta às atividades que lhe dão prazer, como comida e sexo. Além disso, se houver dopamina insuficiente, você pode sentir-se letárgico, deprimido e desinteressado pela vida.

>> A este respeito, as medidas que podemos tomar são:

  1. 1.  Pergunte a si mesmo se o que você está sentindo é fome ou apetite. A fome é uma necessidade fisiológica vital para nutrir o corpo com macronutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras) e micronutrientes (vitaminas e minerais). Quando se fala de apetite, no entanto, refere-se ao desejo de comer por prazer. Neste caso, nossas necessidades já estão satisfeitas, mas fatores como a aparência e apresentação de alimentos, cheiros e sabores, provocam um desejo irresistível de comer em excesso.
  2. B: Escove seus dentes ao terminar de comer, e se surpreenderá como uma medida tão elementar irá ajudá-lo a parar de comer.
  3. C: Muitas vezes a sede é confundida com fome. Então beba água ou limonada sem açúcar (ou com adoçante) quando tiver “fome”.
  4. D: Mantenha na geladeira, cenoura ou aipo crus em palitinhos, ou qualquer alimento que faz “crack” que poderá acabar com aquela necessidade súbita por comida.
  5. E: Use estratégias de gestão de estresse, tais como relaxamento, meditação ou praticar exercícios

comments

Sobre o autor

Dra. Maritza Bendayan

Dra. Maritza Bendayan

Ela é psicóloga clínica, com especialização em psicoterapia cognitivo-comportamental. Possui mais de 30 anos de experiência fazendo parte de equipes multidisciplinares para o gerenciamento de Conduta, Desenvolvimento e Neurociência Infantil; Endocrino-pediatría, controle do Diabetes e Obesidade.